PARA O TRANSPORTE

A força da Realização e da capacidade.

sabe bem da importância da mobilidade e de um transporte público rápido e eficiente, determinante para a qualidade de vida das pessoas. Menos tempo no transporte significa mais tempo com a família, mais tempo para a vida. Um bom transporte público significa também menos gente circulando de carro e, consequentemente, um trânsito melhor. Essa é uma área na qual Eduardo investiu muito como prefeito do Rio e que vai priorizar como governador. Agora, ele vai levar essa experiência para outras localidades do estado, onde as necessidades são outras, mas serão igualmente bem atendidas.



Veja as metas

  • 1

    Ampliar a integração do sistema para que trens, metrô, BRT, barcas e VLT sejam os principais modos de deslocamento na região metropolitana.

  • 2

    Implantar o transporte de alta capacidade no leste metropolitano para garantir a redução significativa do tempo de viagem entre os municípios de Itaboraí, São Gonçalo, Maricá e Niterói, como também o deslocamento de seus moradores ao Centro do Rio, com conforto, rapidez e baixo custo.

  • 3

    Recuperada a capacidade financeira do Estado, deve-se expandir a malha metroviária, de forma a aumentar sua capacidade e melhorar seu atendimento.

  • 4

    Aumentar a utilização da malha ferroviária e melhorar sua qualidade, objetivando chegar aos padrões de serviço de metrô e ampliar sua performance através do combate a seus gargalos, como a falta de segurança e acessibilidade nos trens, nas estações e seus arredores, bem como melhorar a integração física e tarifária com outros modais.

  • 5

    Reformular o Bilhete Único intermunicipal, tornando-o mais barato e priorizando a integração entre trens, metrô, BRT, Barcas e VLT a partir da licitação das linhas de ônibus intermunicipais.

  • 6

    Implantar um novo marco regulatório no sistema de ônibus, baseado em um novo Bilhete Único Intermunicipal e na integração com a rede estrutural, transferindo as atribuições do DETRO para a Agência Reguladora de Transportes (AGETRANSP), despolitizando as indicações dos seus conselheiros, garantindo sua independência e o aprimoramento de sua capacidade técnica.

  • 7

    Implantar os mecanismos institucionais para a efetiva gestão e integração das questões metropolitanas.

  • 8

    Reestruturar o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), modernizando sua gestão e implementando novo sistemas e métodos para garantir um eficaz sistema de conservação e gestão das rodovias estaduais.

  • 9

    Buscar investimentos para a recuperação e ampliação das malhas rodoviária e ferroviária no estado através de parcerias com o Governo Federal, iniciativa privada e concessões.

Baixe todas as propostas