PARA A SEGURANÇA PÚBLICA

Veja as metas

  • 1

    Reduzir a violência nas ruas, os roubos e homicídios de forma significativa no primeiro ano de governo por meio da implantação de um novo modelo de patrulhamento territorial e do aumento do efetivo policial destacado para operações de policiamento ostensivo conforme a mancha criminal.

  • 2

    Reduzir as mortes causadas por confrontos armados a partir de ações de planejamento e de operação adequadas, com utilização de um sistema de inteligência que permita uma ação preventiva e cirúrgica das forças de segurança com o objetivo de minimizar os riscos de enfrentamento.

  • 3

    Combater a corrupção policial e penitenciária, estabelecendo um sistema de corregedoria independente, ligada diretamente ao governador, com recursos e plano de carreira próprios.

  • 4

    Reestruturar os órgãos de segurança pública do Rio de Janeiro a partir de um novo sistema de governança e de gestão com base em indicadores, metas e resultados, revendo procedimentos e processos internos, com planos de formação básica e de capacitação e implementando um efetivo sistema de meritocracia.

  • 5

    Garantir o apoio das Forças Armadas no combate à corrupção policial e penitenciária, na reestruturação das forças de segurança, na dissuasão de confrontos entre facções criminosas quando necessário e na retomada gradual dos territórios dominados pelo crime organizado.

  • 6

    Instituir a Força da Paz, uma força-tarefa de inteligência e operação integrada contra o Crime Organizado, com participação de órgãos como a Polícia Civil, a Receita Federal e a Secretaria de Fazenda, com foco no levantamento e cruzamento de informações, desarticulação e desestruturação financeira das organizações criminosas e na investigação e prisão de membros do crime organizado e colaboração com instituições do sistema de Justiça como o Ministério Público e o Poder Judiciário.

  • 7

    Combater a impunidade, investindo no esclarecimento de crimes, por meio da criação de equipes de coletas de evidências criminais, do controle de inquéritos relatados e concluídos e dos mandados cumpridos, assim como das prisões realizadas e da adoção de um sistema único de registro de ocorrências integrado entre as forças de segurança.

  • 8

    Reestruturar o sistema penitenciário do estado, para ampliar as vagas, separar os presos adequadamente e garantir o isolamento implantando medidas de segurança nos presídios como bloqueadores de celular, câmeras de vigilância e um sistema unificado de controle de portaria.

  • 9

    Implantar o Trilha do Futuro, um programa focado no desenvolvimento de jovens entre 14 e 29 anos que agrega políticas públicas transversais conjugando um novo modelo de ensino médio (Ensino Médio do Amanhã), bolsa-auxílio para reter o jovem na escola para jovens em situação de vulnerabilidade social (Poupança Escola), promoção de atividades culturais e desportivas, capacitação para o primeiro emprego e para o mercado de trabalho e uma política reinserção social de jovens infratores. 

  • 10

    Reduzir o roubo de cargas e de veículos a partir da implantação de Sistema de Câmeras e Cerco Eletrônico nos principais corredores viários do estado para controle e recuperação de veículos e cargas roubados e para apoio na investigação criminal.

  • 11

    Estabelecer um planejamento estratégico para segurança, pactuando metas e projetos, formando parcerias e forças-tarefa com instituições do sistema de Justiça (Ministério Público e Poder Judiciário), o governo federal, as forças armadas, prefeituras, sociedade civil, alinhando as ações aos objetivos centrais da política de segurança, de redução da criminalidade e busca da paz.

  • 12

    Estabelecer protocolos de cooperação e de articulação com os municípios para a garantia da ordem pública, troca de informações e ações integradas que reforcem a implementação da política de segurança.

  • 13

    Implantar um programa de Prevenção e Proteção das Mulheres Vítimas de Violência com integração das bases de dados, da estruturação de rede e melhoria do atendimento às vítimas no Estado e nos municípios, e também das vítimas de violência a LGBTs, crimes raciais, preconceito religioso e de exploração sexual.

  • 14

    Implantar um programa de Controle de Armas e Munições, com moderno sistema de informações de balística e de monitoramento das armas, integrado a sistemas de outros estados e do governo federal.

  • 15

    Ampliar a resiliência e a segurança das comunidades, com ações para reduzir vulnerabilidades a partir da ampliação da capacidade de resposta a emergências fortalecendo o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil. Intensificar o treinamento das comunidades, reforçar as estruturas de contenção de encostas, proteger das chuvas e deslizamentos, e promover a recuperação ambiental em áreas de risco e drenagem.

  • 16

    Criar os Centros de Operações Policiais (C.O.P.) em todas a regiões do Estado para integrar as atividades das forças de segurança e das polícias, coordenando a vigilância nas ruas, o patrulhamento tático-ostensivo e as atividades de investigação e elucidação e crimes, a partir de uma coordenação estratégica e integração das operações e das informações. Os COPs regionais serão subordinados ao Comando Geral do COP, com sede na capital e que centralizará as operações de segurança do Estado. 

Baixe todas as propostas