Eduardo Paes 25
21/08/2018

Paes visita esqueleto do hospital da mãe e anuncia programa cegonha fluminense

O candidato ao governo do Estado do Rio, Eduardo Paes, visitou no dia 21/08 as obras abandonadas do Hospital da Mãe, em São Gonçalo. No local, onde deveria ter uma grande maternidade, existe apenas um grande esqueleto. Na visita, Paes aproveitou para informar que, se eleito, irá implementar no Estado o programa Cegonha Fluminense, inspirado em um de seus principais programas da época em que foi prefeito do Rio: o Cegonha Carioca.

– A Saúde tem de ser uma prioridade. São Gonçalo é uma das áreas que tem os piores atendimentos de saúde do estado. Esse Hospital da Mãe é um hospital importantíssimo. É uma grande maternidade. Vamos retomar essa obra e, em paralelo, fazer junto com os municípios do estado um programa que fazíamos na Prefeitura do Rio, que era o Cegonha Carioca. Vamos fazer o Cegonha Fluminense – destacou Paes.

Paes explicou que no Cegonha Fluminense, além de todo o atendimento pré-natal, a gestante saberá antecipadamente onde terá o bebê. O programa colocará ainda à disposição das gestantes um número de telefone para chamar a ambulância no momento do parto. A mãe receberá ainda um enxoval para o seu bebê.

– O Cegonha Fluminense fará o atendimento pré-natal, esse atendimento carinhoso e atencioso com a mãe que vai dar à luz. Ela vai saber a maternidade onde vai ter o filho e receber o kit enxoval. Isso é algo que a gente quer fazer com os municípios. Faz parte da atenção básica e é algo que o estado pode cofinanciar com os municípios – afirmou Paes.

Ao ver o esqueleto do Hospital da Mãe, Paes ressaltou que, se eleito, as obras serão retomadas.

– A Constituição estabelece um mínimo de 12% das despesas com Saúde. E ela tem de ser prioridade. A população está sofrendo, morrendo. As mães não conseguem ter seus filhos com dignidade. Quando olhamos para a Região Metropolitana, quando olhamos para São Gonçalo, para Itaboraí, Rio Bonito, Baixada Fluminense, vemos um sofrimento enorme. E esse é para ser um momento fantástico na vida de uma mulher, de um casal, de um pai, que é ter um filho.

O Hospital da Mãe, hoje abandonado, começou a ser construído em 2013. A previsão era a de que, ao seu término, ele tivesse capacidade para realizar, mensalmente, dez mil consultas e 800 partos. A população de São Gonçalo possui ainda uma baixa cobertura de Saúde da Familia – 56% – e sofre com uma alta taxa de mortalidade infantil de 14,2 mortes para cada 1.000 nascidos vivos, bem acima da média do estado, que é 12,8 por 1.000 nascidos vivos.

Durante a tarde, Paes visitou os bairros de Alcântara e Zé Garoto, em São Gonçalo, e visitou a cidade de Itaboraí.