Saúde
04/09/2018

Os hospitais públicos voltarão a trabalhar com a capacidade máxima de leitos

Recuperar hospitais já existentes na rede pública de saúde de todo o estado e investir na reabertura de leitos ociosos para solucionar a crise na saúde do Rio. O candidato ao governo do Estado do Rio, Eduardo Paes, disse, nesta terça-feira, em visita ao Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, que, se eleito, irá investir na rede já instalada de hospitais do estado para retomar a plenitude da capacidade de atendimento dessas unidades de saúde, de forma a melhorar a assistência à população fluminense que hoje precisa peregrinar por atendimento médico. Paes voltou a reafirmar que uma das prioridades de seu governo será recuperar as finanças do estado para, com as contas saneadas, voltar a aplicar em Saúde pelo menos o mínimo constitucional previsto, que é de 12%. Paes voltou a dizer também que espera que as universidades públicas do estado _ o Pedro Ernesto é vinculado à UERJ _ sejam parceiras na recuperação do Rio.

_ O Pedro Ernesto sempre foi uma casa de formação de profissionais de saúde para todo estado e a gente tem que fortalecer esse papel da residência médica aqui. Temos que reabrir leitos no estado. Aqui tem leito. Na Baixada Fluminense tem alternativas de leitos que estão fechadas. Ou seja, você pode melhorar muito a Saúde sem a necessidade de construção de novos hospitais. Há uma oportunidade muito grande de botar pra funcionar, mais e melhor, aquilo que existe.

No caso específico do Pedro Ernesto, a unidade enfrentou, em seu passado recente, contingenciamento no atendimento, devido à grave crise fiscal do estado. Segundo Paes, no auge a crise, o hospital estava trabalhando com 70 leitos disponíveis. Hoje, são cerca de 300. Mas segundo o candidato do Democratas, o hospital universitário poderia trabalhar com a disponibilidade de até 520 leitos.

_ A Universidade precisa ter garantido os seus recursos. Ela tem uma autonomia financeira e de gestão. É um compromisso nosso garantir os recursos. Se a gente retomar aquilo que a constituição manda, que são os 12% do total das despesas sendo investidos em saúde, você já coloca a saúde para funcionar. Você já volta a conveniar com os municípios e não precisa fazer novas obras e prédios. Existem leitos não utilizados por todo estado. Se você ajeita as finanças, organiza as contas do estado e aplica aquilo que esta previsto na constituição, você vai longe _ disse Paes em referência ao ritmo de recuperação da rede hospitalar do Rio.

Paes lembrou que, quando estava à frente da Prefeitura do Rio, sua gestão aplicava 25% do orçamento em Saúde. O candidato do Democratas explicou ainda que, somente em casos especiais, o estado investiria recursos em novas unidades hospitalares, como é o caso do Hospital da Mãe, em São Gonçalo, cujas obras estão paradas.

_ A gente triplicou o orçamento da saúde (na Prefeitura do Rio). Ou seja, Saúde é prioridade. Tem que ter recurso. Não tem saúde sem recurso. O que eu garanto que podemos fazer no estado é, com estruturas como essa aqui do Pedro Ernesto, reabrir leitos, colocar para funcionar na plena capacidade os hospitais sem a necessidade de novas construções. Pode ter um caso ou outro. Estive no Hospital da Mãe, em São Gonçalo.

Essa é uma maternidade que a gente quer concluir a obra e abrir. Mas boa parte da rede hospitalar do estado está ociosa. Você pode ampliar a rede de alta e média complexidade de hospitais sem a necessidade de construir novos prédios _ finalizou.

Na parte da tarde, Eduardo Paes ministrou palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro, dentro do evento “Rio em debate”, que está recebendo os candidatos ao governo do estado. Ele também fez caminhadas pela Baixada Fluminense.